A vitalidade urbana só estará garantida se existirem serviços a serem explorados e pessoas que possam explorá-los, sendo essa a grande riqueza da vida nas cidades.

TRANSFORME. INOVE. CRIE. PROPONHA. PLANEJE. IDEALIZE.

VITALIDADE DE USOS NO ESPAÇO

A Equipe Carolina Araújo Arquitetura BIM tem a honra de anunciar o lançamento da primeira edição do Concurso Nacional Crie o Amanhã.

O Concurso, de abrangência nacional, é direcionado a estudantes, profissionais e projetistas da área de arquitetura, engenharia e construção, aptos a desenvolver o desafio de forma exclusivamente individual. A todos serão permitidos a possibilidade de orientação de um professor da área.

TEMA:

O Tema do Concurso é: VITALIDADE DE USOS NO ESPAÇO.

Em face das transformações constantes no espaço urbano, associadas às mudanças nos processos econômico, político e tecnológico, bem como aos modos de viver e habitar nas cidades, o projeto deve propor a integração de diferentes usos e apropriação dos espaços com o ambiente urbano.

Morar, trabalhar, comprar, divertir-se são atividades dinâmicas e cada vez mais entrelaçadas, e, para sua realização, fatores como mobilidade, acessibilidade e planejamento urbano tornam-se elementos preponderantes.

Espaços que geram presença de pessoas em horários diferentes, diversos usos ativos, valorização dos percursos, edifícios variados e pessoas de diferentes idades, contribuem com a vitalidade urbana e a sustentabilidade.

OBJETIVOS

  • Estimular o trabalho criativo, vinculado as soluções de projeto e concepção arquitetônica e estrutural apropriada.
  • Incentivar a investigação do conceito de espaço enquanto uso público, semipúblico, semiprivado e privado, considerando que a vida urbana envolve as inter-relações do edifício e do espaço exterior e que, para tal demanda, é necessária uma organização espacial;
  • Fornecer subsídios para o ensino da arquitetura, urbanismo e engenharia, e para o desenvolvimento de projetos arquitetônicos e urbanísticos, em contextos similares.

CATEGORIAS

Serão aceitos projetos com o objetivo de PROMOVER VITALIDADE DE USOS DO ESPAÇO que podem integrar duas ou mais funções, nas seguintes categorias:

CATEGORIA 1 – Edifícios Residenciais / Edifícios Comerciais / Edifícios Multifuncionais / Hotel / Conjunto Habitacional

CATEGORIA 2 – Centro Cultural / Escola / Universidade / Hospital / Igreja-Templo / Parque / Clube-Parque Aquático

CATEGORIA 3 – Complexo Turístico / Pavilhão de Eventos / Pavilhão de Exposições / Habitação de Interesse Social /

INSCRIÇÃO

A inscrição tem o valor de R$ 40,00.

NO ATO DA INSCRIÇÃO RECEBA DE FORMA GRATUTA O TEMPLATE MOBILIÁRIOS URBANOS + BIBLIOTECA MOBILIÁRIOS URBANOS + EBOOK VITALIDADE DE USOS NO ESPAÇO + DADOS TERRENOS + DIVERSOS BÔNUS

PREMIAÇÃO

1º LUGAR – 5.000 + VIAGEM A CURITIBA (Visita ao Museu Oscar Niemeyer com Arq. Carolina – Todas As Despesas Pagas).

2º LUGAR – VIAGEM A CURITIBA (Visita ao Museu Oscar Niemeyer com Arq. Carolina – Todas As Despesas Pagas).

3º LUGAR – ACESSO A TODOS OS CONTEÚDOS DA LOJA

BAIXE O EDITAL E INSCREVA- SE:

https://arqcarolinaaraujo.com.br/concurso/

Bom projeto!

Carolina Araújo.

Fundadora do Concurso Nacional Crie o Amanhã


Bibliotecas de Famílias: O que são?

Chamados blocos ou componentes, que estão prontos, ou seja, já modelados, como por exemplo mobiliários, luminárias, peças sanitárias, equipamentos, etc.

No Revit esses blocos são denominados Famílias. São chamadas de Famílias porque são componentes paramétricos que trazem em si toda uma gama de informações como materiais e forma construtiva, além de vistas 2D e 3D. Esses parâmetros fazem com que as famílias funcionem de forma dinâmica, podendo ajustar as dimensões para se acomodar no projeto, assim como definir ou trocar seus materiais.

São configurados em relação a parâmetros, materiais e acabamentos, sombras, representação gráfica, aptos a serem inseridos no projeto, com a possiblidade de alterações e novas configurações, afim de atender a necessidade de cada profissional, escritório ou instituição.

Uma biblioteca bem organizada, com pastas nominadas para cada uso dos componentes, certamente otimiza muito tempo de criação e modelagem, bem como facilita a inserção e manuseio no projeto.

Bibliotecas de Famílias: Benefícios

  • Capacidade de adaptar configurações, a afim de atender a necessidade de cada profissional.
  • Otimização de tempo de criação dos componentes.
  • Uso exclusivo para atender características de projeto de alguns escritórios ou localidades onde o programa é usado.
  • Uso exclusivo para atender respectivas metodologias de detalhamento e execução de cada escritório.
  • Material completo para o uso de qualquer tipo de projeto, seja residencial, comercial, paisagismo e urbanos;
  • Possibilita a utilização dos componentes nas suas aplicações tanto na arquitetura como na engenharia;
  • Atende todas as necessidades de um projeto arquitetônico;
  • Ganho de tempo com modelos completos;
  • Aumento da produtividade de projetos com o uso dos componentes modelados e já configurados;
  • Grande diferencial na representação das famílias;

Bibliotecas de Imagens para Renderização: O que são?

Os materiais são representações em 2D que aplicamos às superfícies dos objetos do projeto, sendo necessário por vezes, fazer uma série de configurações para conseguir reproduzir com fidelidade o acabamento desejado.

Geralmente usamos o termo textura quando nos referimos a um bitmap, ou seja, uma imagem que representa o elemento que você deseja em seu projeto.

Em um mercado cada vez mais concorrido, conseguir reproduzir as características dos objetos do seu projeto da maneira mais realista possível pode ser o diferencial que você precisa.

Em um determinado momento do projeto precisamos:

REPRESENTAR os mais variados acabamentos onde cada um tem suas próprias características, peculiaridades e inclusive alguns defeitos. Para conseguir isso recorremos as imagens / texturas / materiais.

Bibliotecas de Imagens para Renderização: Benefícios

  • Grande diferencial na representação das famílias;
  • Uma biblioteca bem organizada, com pastas nominadas para cada uso de tipologias, certamente otimiza muito tempo de procura de texturas, bem como facilita a inserção e manuseio no projeto.
  • Uma vez carregadas as pastas de texturas no Revit, as mesmas ficarão sempre salvas no software, a menos que você instale novamente o programa ou formate seu computador.
  • Visa de atender a necessidade de cada profissional.
  • Uso exclusivo para atender características de projeto de alguns escritórios ou localidades onde o programa é usado.
  • Uso exclusivo para atender respectivas metodologias de detalhamento e execução de cada escritório.

Template ou modelo é definido como um tipo de arquivo padrão, pré-formatado para fundamentar outros arquivos, principalmente documentos. Os modelos contêm um conjunto de elementos que são criados para padronizar a configuração de visualização através dos documentos finais. 

O uso de um bom template para o desenvolvimento de projetos permite ao usuário gastar menos tempo com formatação e representação de desenho e dedicar mais tempo à concepção do projeto. Os arquivos templates também fornecem informações precisas e um nível de consistência de dados (etapas de projeto, componentes, tabelas, entre outros).

O arquivo modelo do software Revit Architecture, por exemplo, como a maioria dos modelos de desenho, é um documento padrão usado para a criação de novos documentos, novos projetos.

Um template bem elaborado é essencial para melhorar a eficiência, qualidade, clareza e coerência de projetos. Tal como acontece com os modelos para outros programas de desenho, eles devem ser configurados para corresponder aos padrões do escritório ou padrão do usuário e devem ser compreendidos por todos os envolvidos no processo de projeto.

Os modelos são um conjunto de elementos e de configurações, e o usuário precisa conhecer bem o template em que trabalha para que possa utilizar as configurações da melhor forma possível em seus projetos.

Ao ser instalado, o software Revit vem com um conjunto de modelos padrão que podem ser aproveitados. Os arquivos templates podem ser construídos a partir desses modelos ou ainda podem ser construídos a partir do zero. Quando um novo projeto é criado, as configurações do modelo são copiadas para o mesmo. É importante ter em mente que um arquivo template Revit pode evoluir continuamente e, com isso, o usuário deve definir claramente suas normas e padrões de desenho para que os projetos desenvolvidos no Revit reflitam exatamente o padrão gráfico desejado.

Mas nem todos sabem a real importância de um template e o quanto isso interfere em todo o processo de projeto.

Muitos que desenvolvem projetos em Revit possuem dificuldades em entender o que são templates, como os criam, modificam, da mesma forma que possuem dificuldades em entender os conceitos da tecnologia BIM.

Pois bem, o conceito de template é igual em qualquer software que utilize uma base para o seu início de trabalho (como por exemplo, o Word: folha A4, tipo de letra Times New Roman, tamanho 12). Em Revit, o conceito é o mesmo: criação de vistas de plantas de pisos, criação de vistas de cortes e elevações, organização das vistas por disciplinas e subdisciplinas, unidades, componentes construtivos, objetos disponibilizados, simbologias, configurações e facilidades implementadas para facilitar a documentação de projetos.

Uma vez que a intenção é utilizarmos o mesmo template em todos os projetos, é possível torná-lo como base para todos os projetos (para quando iniciarmos um novo arquivo de projeto, este irá abrir com as informações já configuradas vindas do template).

Templates: Possibilidades e Importância

O uso de templates desenvolvidos como um novo método de projetar facilitam não só a visualização do projeto como um todo, mas também contemplam como a edificação será construída, em todas as suas etapas de projeto, incluindo o próprio processo de construção, além de facilitar a compatibilização dos projetos complementares.

Com o uso de templates que seguem este conceito, um projeto complexo que contenha viabilidade, anteprojeto, projeto legal, projeto executivo, entre outros, que demanda conhecimento de muitos profissionais e tecnologias, podem ser gerenciados com maior facilidade, já que estes facilitam o processo colaborativo sobre um modelo integrado.

Como principal função, os templates sustentam o conjunto de metodologias aplicáveis à nova tecnologia e demonstram como relacionar os domínios da gestão do processo de projeto e da tecnologia da informação.

Além de, os templates possibilitam uma grande capacidade de revisar e coordenar o que se projeta, devido aos procedimentos para controle da qualidade e gerenciamento das interfaces entre os agentes. Erros e colisões podem ser facilmente detectados, corrigidos e revisados, pois, é possível determinar regras e parâmetros que detectem automaticamente falhas e tolerâncias proporcionais que reduzem automaticamente o retrabalho e a quantidade de revisões em um projeto.

De forma a esclarecer as possibilidades do uso destes templates, segue abaixo algumas das características que são facilitadas pelo modelo integrado, ou ainda, o que estes templates promovem:

  • Melhorar a visualização dos dados e informações sobre o projeto, permitindo compreender e participar ativamente do processo de projeto;
  • Contribuir para melhorar a eficiência e qualidade da construção civil, com a intenção do melhor aproveitamento das ferramentas e dos elementos construtivos;
  • Aprimorar a coordenação dos documentos compartilhados da construção a fim de promover tanto a rápida troca de informações, como aumentar a produtividade e melhorar os prazos de entrega dos projetos destinados à execução da obra;
  • Proporcionar uma gestão de projetos que incorpore e compartilhe informações, ou seja, trocar o projeto hierárquico por projeto colaborativo de modo que todos coparticipem das decisões do projeto;
  • Identificar a organização da troca das informações mais adequada aos projetos integrados;
  • Criação do modelo 3D adaptado a qualquer tipo de cenário (insolação, esforços estruturais, acústica, etc.), o que pode resultar diferentes representações gráficas;
  • Visualização de todas as etapas de projeto em uma mesma cena;
  • Modelo e suas representações ou possibilidades de manipulação que o modelo permite;
  • Diferentes tipos de vistas que possibilitam diferentes tipos de representações gráficas (em plantas, cortes, elevações, perspectivas, etc.);
  • Integração dos consultores na construção, isto é, permitir que o trabalho de consultores externos possa ser integrado no projeto de forma a facilitar a construção;
  • Desenvolvimento de soluções nas diferentes disciplinas de projeto devido à integração de resultados e de verificações que o modelo permite por parte dos diferentes agentes envolvidos (arquitetos, contratantes, consultores, especialistas, projetistas, proprietários, etc.).

Assim sendo, podemos utilizar os templates em vários eixos de ação, bem como analisarmos a gestão integrada entre o processo de projeto e o processo da modelagem da informação.